História do Instituto Campineiro

dos Cegos Trabalhadores

1933                                                                           2013

“A cegueira tira a vista, mas deixa intactos os sentimentos humanos. Ele (o cego), sabe que pode trabalhar, estudar, progredir, enfim, integrar-se na comunhão social, disputando o lugar que, pelo seu esforço, merece, tornando-se útil à sociedade”.

(Prof. Dante Egrégio, membro fundador do Instituto, em 27 de maio de 1933)